A Morte de Aaron Swarts e a Volta da Enciclopédia Barsa

Postado em 22 de Janeiro de 2013
A Morte de Aaron Swarts e a Volta da Enciclopédia Barsa
Avalie este post

Hoje me deparei com duas notícias que me fizeram parar e pensar um pouco, o texto escrito pela jornalista Eliane Brum da Revista Época sobre a morte de Aarom Swarts e um email marketing da famosa Enciclopédia Barsa, sim ela mesmo, a famosa Barsa, se reinventando e entrando para o mundo digital, mudando seu velho modo de pensar e agir que ainda prevalece e esta antenada com tudo o que está acontecendo, quase, mas esta tentando.


Quando recebi o email da Barsa, lembrei de como nós fazíamos os trabalhos de escola, onde quem tinha acesso a informação eram apenas as grandes instituições ou pessoas com muito dinheiro que compravam a Barsa, pois se minhas memórias estão boas, o custo de todo aquele conhecimento era alto e infelizmente o acesso era para poucas pessoas, as que estudavam em escolas estaduais deveriam ir a uma biblioteca pública para fazer o trabalho, isso quando haviam nas cidades. Hoje está por 24 parcelas de R$ 100,00, quem pagar isso para mim é louco, pois todas estas informações estão em milhares de fontes seguras assim como a Barsa, talvez por R$ 15,00 por mês, 10 vezes mais pessoas iriam poder ter acesso, é dícicil julgar o quanto vale, mas quando penso no salário mínimo me dá o direito de julgar algo.

Com a chegada da internet, o acesso à informação ficou muito fácil e barato a todos, pois todos podem compartilham informações e buscar em milhares de fontes e isso não é apenas aos ricos, mas para isso chegar até você, são milhares de pessoas com vontade de compartilhar conhecimento e construir ferramentas sem o interesse de ter algo em troca, assim como estou fazendo.

Aos 30 anos chego a conclusão que umas das coisas mais importantes que temos é a informação e antigamente, informação era mantida a 7 chaves, hoje se você fizer isso, em 5 minutos outras 15 ou mais pessoas irão ter a mesma idéia que você, e irão compartilhar, isso sempre aconteceu, pois vivemos num mundo de 7 bilhões de pessoas, mas hoje temos a internet e pessoas que gostam de compartilhar e a internet é um meio de fazer tudo isso rápido, fácil e barato, assim como fiz com a reportagem da morte de Aarom e a volta da Barsa, portanto é melhor você ser fonte de informação do que outras pessoas ou empresas e isto eu aconselho principalmente para as empresas e instituições de ensino, assim como fiz na Microcamp criando um blog de cada curso para compartilharmos as informações, onde cheguei a ser criticado por professores que achavam que o aluno iria desistir do curso pois estaríamos dando a informação a ele.

Mas o que tem a ver Aarom com a Barsa?

Barsa era uma fonte de conhecimento restrita e pessoas como Aaron facilitaram o acesso a informação e com isso tirou um pouco do dinheiro das empresas ou forçaram elas a se reinventar ou diminuir um pouco seus lucros bilionários,  tendo que diminuir os preços.

Neste mundo, os políticos e as leis andam muito ultrapassadas, precisando de uma reforma,  antigamente era possível fazer planejamento de empresas de anos, hoje em dia algumas empresas fazem planejamento trimestral, pois  a velocidade está muito rápida, temos tudo isso graças aos jovens  e a pessoas com vontade de mudar e compartilhar informações, sem pensar no retorno, se vier ótimo, assim como Aarom, os donos do The Pirate Bay que foram presos e até mesmo o escritor Paulo Coelho que apoiou o The Pirate Bay e o compartilhamento gratuito dos seus livros, pois não vai fazer diferença nenhuma em seu bolso, alguns milhares de livros baixados. Sou contra a pirataria, mas também sou contra ao baixo salário mínimo pago aos brasileiros e o alto preço de acesso a informação e cultura, onde para você assistir um filme no cinema equivale a 10% do salário mínimo e o mesmo para comprar um livro, o que exclui quase na totalidade da nossa população de acesso a cultura e informação, pensando neste ponto sou totalmente a favor da pirataria.

Estas leis não mudam , pois o poder privado só pensa em lucrar e no seu próprio nariz, influenciando e pagando os políticos para agirem em sua causa, resumindo “lucro”, e não fazem força nenhuma para melhorar o mundo, de vez em quando ajudam em campanhas publicitárias para melhorar a sua imagem com campanhas de “sustentabilidade”, piada. O governo está preocupado em apoiar estas empresas que querem colocar na cadeia as pessoas que compartilham informações, mas não está preocupada em melhorar o acesso a informação as pessoas com baixa renda, acesso a internet, escolas decentes entre outras coisas. Diretores de escolas e população se volta contra uma garota de de 13 anos que resolve relatar os problemas de uma escola pública em seu Diário de Classe, onde sua apedrejaram sua casa e feriram sua vó na cabeça, pois criticou a escola que estava desviando dinheiro.

Morando na europa, que mesmo em crise, vejo jovens trocando de países para estudar como se estivessem pegando um ônibus para a cidade vizinha, pois o governo incentiva o acesso a informação, e financia o estudo deles, ae paro e penso em nosso índice de pessoas com ensino superior que é ainda apenas 7,9% da população, de acordo com o IBGE. Estamos melhorando, quase dobramos em relação ao ano passado e com certeza iremos melhorar muito, pois estamos acordando e entrando na linha, contra os 30% da Europa, mas isso acredito ser uma questão histórica de colonização dos países que não cabe a este post.

Já passou da hora de mudar o jeito de pensar e agir da força pública e privada né, jovens como Aaron que se sacrificam talvez para serem ouvidos.

O que você acha a respeito?

More from my site

Ver post  Professor Viu na Internet um Bom Negócio e Novas Possibilidades

Bruno Pinheiro - Consultor de Marketing Educacional e Digital

Eu sou consultor de marketing digital e educacional. Tenho mais de 10 anos de experiência, e foco meu trabalho em resultados utilizando Agile Marketing.